quinta-feira, 12 de agosto de 2010

FRÁGIL

Sinopse
Willow, a linda, muito desejada e adorada filha de Charlotte O’Keefe, nasceu com osteogénese imperfeita - uma forma grave de fragilidade óssea. Se escorregar e cair pode partir as duas pernas, e passar seis meses enfiada num colete de gesso. Depois de vários anos a tratar de Willow, a família enfrenta graves problemas financeiros. É então que é sugerida a Charlotte uma solução. Ela pode processar a obstetra por negligência - por não ter diagnosticado a doença de Willow numa fase inicial da gravidez, quando ainda fosse possível abortar. A indemnização poderia assegurar o futuro de Willow. Mas isso implica que Charlotte tem de processar a sua melhor amiga. E declarar perante o tribunal que preferia que Willow não tivesse nascido...
 
Opinião
Ao terminar este livro, encerro assim as minhas leituras de férias.
Tal como podem ler na sinopse, este livro tem uma história muito forte, em primeiro lugar, a história de Willow, uma lindissima menina que nasceu com osteogénese imperfeita, a chamada doença dos ossos de vidro, e em segundo lugar, o processo judicial instaurado por Charlotte O'Keefe, mãe de Willow, para processar a sua obstetra e amiga, Pipper Reece. A partir daqui, tudo se desmorona na vida desta família.
Amizades que se perdem, casamentos em riscos, doenças que surgem nos filhos e os pais nem atentam a esse facto. E nós, leitores, vivemos esta história como se de facto fosse real.
Um livro fascinante.
Jodi Picoult escreve este livro de forma diferente. Aqui não há um narrador principal, mas sim testemunhos individuais de todas as personagens.
Uma espécie de diário, em que cada personagem conta a sua versão, a forma como todo este problema foi sentido de modo diferente por cada um deles e todo ele dirigido a Willow.
Confesso que não li este livro, devorei-o e agora fica aquele pensamento de "oh já chegou ao fim"... e que fim!!
Não posso expressar totalmente a minha opinião pois estaria a revelar todo o enredo,  mas confesso que fiquei revoltada com o final. Não era de todo o que eu estava à espera.
Gostei imenso deste livro, e certamente que me ficará na mente durante bastante tempo.
Além do fantástico enredo, o livro está recheado de belíssimas receitas adequadas ao momento. Isto porque Charlotte O'Keefe era chefe de uma pastelaria e fazia sobremesas divinais :)

4 comentários:

  1. Humm... este tb me pareceu interessante, tb temos de trocar eheh

    Bjinho e bom regresso
    Carina

    ResponderEliminar
  2. Este não conheço, mas TODOS os livros da Jodi Picoult são FENOMENAIS!!

    ResponderEliminar
  3. Parece-me muito interessante!!!
    Faz-me lembrar, pela forma como é escrito, no "Para a minha irmã", em que cada personagem narra a sua perspectiva da história. Normalmente não gosto muito que façam isso nos livros e quando termina um capitulo dum personagem que está em plena acção, não resisto e vou a procura da próxima intervenção desse personagem :))) e depois volto para trás!! lolll

    beijinhos!!

    ResponderEliminar
  4. Olá Verita!
    Realmente nunca tinha pensado nessa hipótese. Pois o que mais me enervava no livro era mesmo isso, terminar ali o capítulo desse personagem mesmo quando estamos para descobrir algo.
    Mas é um exelente livro!
    Este é meu portanto posso emprestar-te se estiveres interessada em lê-lo, acho que vais gostar!!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar